Home Bem-estar Alimentação Entenda a importância das gorduras mono e poli-insaturadas para a saúde cardiovascular

Entenda a importância das gorduras mono e poli-insaturadas para a saúde cardiovascular

8 min leitura
0
0

Quando o assunto é gordura, a tendência é pensarmos em algo ruim para a saúde. Mas estudos comprovam que não é exatamente assim. Segundo a Nutricionista Márcia Maria Godoy Gowdak, diretora do departamento de Nutrição da Socesp e responsável pelo departamento de Nutrição da SBH, as gorduras são essenciais ao nosso organismo, pois apresentam um papel importante em seu funcionamento – já que participam de processos estruturais e hormonais – e alguns tipos ainda podem contribuir para a manutenção da saúde cardiovascular. “O mais importante com relação à ingestão de gorduras é ficar atento sobre a quantidade e os tipos que consumimos”, destaca.

saude-cardiovascular

A Dra.Márcia Gowdak alerta que existem gorduras que podem fazer mal à saúde e que aumentam o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Outras, porém, podem ajudar a protegê-lo. O primeiro passo é deixar de lado o mito de que toda gordura aumenta o risco de doenças cardiovasculares. A ingestão de ômega 6, por exemplo, é importante, já que este é um nutriente essencial, ou seja, nosso organismo não consegue produzi-lo. Diante disto, a única forma de obter este nutriente é por meio de uma alimentação que contenha fontes desse tipo de gordura.”

Um estudo realizado por Walter Willet, médico e chefe do departamento de Nutrição da Harvard School of Public Health, confirma que uma alimentação rica em Ômega 6 reduz o risco de ataque cardíaco e, quando seu consumo substitui os carboidratos e gorduras saturadas na dieta, a redução do risco é ainda mais significativa.

Confira, abaixo, alguns tipos de gorduras e dicas da Nutricionista Dra. Marcia Gowdak para, gradativamente, adotar uma alimentação equilibrada, rica em gorduras “boas” para o coração.

Gorduras que podem ajudar a proteger nossa saúde

Gorduras insaturadas são as que chamamos de “gorduras boas” e há dois tipos: poli-insaturada e monoinsaturada.

Gorduras poli-insaturadas são encontradas em:

  • Peixes oleosos como arenque, salmão, cavala, atum e sardinhas;
  • Óleos vegetais como o de soja e produtos derivados;
  • Cremes vegetais.

Gorduras monoinsaturadas são encontradas em: 

  • Azeites;
  • Nozes como castanhas do Brasil, amêndoas e avelã;
  • Abacate.

Gorduras que devem ser consumidas com moderação

Gorduras saturadas e trans são as chamadas “gorduras ruins” e o consumo em excesso na alimentação é uma das principais causas de colesterol elevado e outros problemas de saúde.

Gorduras saturadas são encontradas em:

  • Manteiga;
  • Carnes gordurosas;
  • Queijos “gordos”;
  • Leite integral;
  • Óleo do côco.

Gorduras trans são encontradas em alguns:

  • Produtos de panificação (pães industrializados);
  • Biscoitos recheados.

Dicas:

Substitua a manteiga, rica em gorduras saturadas, por alimentos que contenham mais gorduras insaturadas, como o creme vegetal.

Tente criar o hábito de verificar a quantidade dos tipos de gordura presentes nos rótulos de alimentos. Escolha aqueles com os menores teores de gordura saturada e sem gordura trans;

Ao consumir leites e derivados, prefira os com baixo teor de gordura, como os de soja, leites desnatados ou semidesnatados, iogurtes/bebidas lácteas e queijos com baixo teor de gordura, como o cottage ou ricota;

Substitua carnes gordurosas como carne seca, costela, cupim, bisteca de porco e salame, por exemplo, por carnes com menor teor de gordura como alcatra, acém, coxão duro, coxão mole, filé mignon, lagarto, maminha e lombo de porco. Sempre retire a gordura aparente no momento do preparo ou antes de comer.

Além disso, sempre que possível, troque carne vermelha por frango sem pele, peru ou peixes.

Varie o cardápio com os alimentos, abaixo, que podem contribuir para a saúde do coração:

  • Óleo de côco por óleos vegetais, como o azeite de oliva;
  • Ao invés de manteiga ou requeijão, prefira o creme vegetal;
  • Abuse de frutas, legumes e verduras;
  • Alterne o consumo de carne vermelha com frango sem pele e peixes oleosos como cavala e salmão;
  • Varie no café da manhã, com leite de soja ou desnatado.

 

Este post foi oferecido pela Becel – No Brasil, Becel é patrocinadora do movimento Ame o Coração, que em parceria com o HCor (Hospital do Coração) e o Incor (Instituto do Coração), busca conscientizar cada vez mais pessoas sobre os cuidados com o coração através de pequenas mudanças de hábito.


Recomendados


Comentário(s)

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Alimentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira também

Medicina reprodutiva aponta caminhos para lidar com a infertilidade

A infertilidade atinge 15% casais no Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde…