Home Bem-estar Alimentação Saiba como a soja pode contribuir para uma vida mais equilibrada

Saiba como a soja pode contribuir para uma vida mais equilibrada

14 min leitura
0
0

A soja é um assunto muito discutido nos dias de hoje. Poucos sabem, mas ela é um dos alimentos vegetais mais completos que existem. O grão pode proporcionar diversos benefícios para a saúde, pois é rico em proteínas de alta qualidade, gorduras ‘boas” (como as mono e poliinsaturadas), fibras, vitaminas e minerais. Além disso, contém isoflavonas, que são substâncias vegetais que podem auxiliar na redução nos níveis de colesterol ruim (LDL) e, assim, ajudar na prevenção de doenças do coração.

soja

Segundo a nutricionista Dra. Glaucia Figueiredo Braggion,“dietas com maior consumo de alimentos vegetais são benéficas ,já que esses alimentos são ricos em fibras que formam uma espécie de gel no trato-digestório e tornam a digestão mais lenta, proporcionando sensação de saciedade por mais tempo. A recomendação é que haja uma variação na introdução da soja na alimentação, fazendo uso deste grão no preparo de saladas, pratos quentes ou vitaminas, constituindo alternativas para evitar a monotonia alimentar”.

No Brasil, a Anvisa aprovou a soja como um alimento com propriedade funcional sendo que[1]o ideal é consumir no mínimo 25 gramas por dia da proteína vinda desse alimento, para se beneficiar da ação da soja no organismo, associado a hábitos de vida saudáveis. A seguir, a nutricionista explica sobre o papel da soja em uma alimentação variada e responde as principais perguntas sobre o tema.

1.    O que é preciso fazer para ter uma alimentação mais equilibrada?

Variedade é a palavra-chave. Na alimentação, ela é sinônimo de saúde, prazer e pode contribuir para a prevenção de doenças. Fazer uma programação da alimentação diária, a fim de se obter variedade e focar na qualidade dos alimentos, é o ideal para atingir o equilíbrio. Dietas restritivas, que excluem determinados grupos de alimentos, tendem a levar a um comportamento inadequado, podendo até gerar problemas psicológicos e, ao invés de emagrecer, proporcionar aumento do peso corporal. Para se ter uma vida mais saudável, incluir alimentos de todos os grupos alimentares é essencial.

2.    É verdade que a soja é um alimento nutritivo?

A soja é muito nutritiva. É rica em proteínas de alta qualidade, gorduras “boas”(como ômegas 3 e 6), fibras, vitaminas e minerais, e é pobre em gorduras “ruins” (saturadas).

3.    Quais os reais benefícios da soja para o coração?

Incluir a soja na dieta pode trazer benefícios ao coração, uma vez que a proteína da soja auxilia na diminuição dos níveis de colesterol sanguíneo, um importante fator de risco para doença coronariana. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA – julho/2008), a proteína de soja é um nutriente com propriedades funcionais e/ou de saúde e foi aprovado que o consumo diário de no mínimo 25g de proteína de soja pode ajudar a reduzir o colesterol. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação variada e a hábitos de vida saudáveis.

4.    Quem tem intolerância à lactose pode tomar bebidas à base de soja?

A dieta com alimentos à base deste grão pode ser uma ótima alternativa para pessoas com alergia à proteína do leite ou com intolerância à lactose, mas, para isto, é preciso que haja orientação nutricional, garantindo a adequação calórica e a ingestão de todos os nutrientes para o desenvolvimento e a manutenção da saúde.

5.    A bebida feita com o extrato de soja tem qualidade diferente daquelas preparadas com proteína isolada da soja?

Os benefícios nutricionais do extrato de soja são superiores aos da proteína isolada de soja. Isso ocorre porque o extrato de soja é o produto obtido a partir da moagem dos grãos de soja com água. Dessa forma, ele preserva, além da proteína, parte dos carboidratos, gorduras “boas”, vitaminas e minerais presentes na soja.

6.    As isoflavonas presentes na composição da soja são iguais ao estrogênio?

Estudos clínicos[2]ˑ[3]ˑ[4] mostram que as isoflavonas são, de fato, diferentes do estrogênio. Por exemplo, o estrogênio estimula o tecido das mamas e o tecido vaginal e reduz a perda óssea em mulheres na pós-menopausa. As isoflavonas, por sua vez, parecem não surtir qualquer um desses efeitos. Outros estudos[5]ˑ[6]ˑ[7]sugerem ainda que o consumo destas podem prevenir o aparecimento de câncer de mama em uma fase mais tardia da vida. Por outro lado, tanto as isoflavonas quanto o estrogênio aliviam as ondas de calor que ocorrem no período da menopausa, e há algumas evidências que sugerem que ambos melhoram a saúde da pele.

7.    Homens e crianças podem consumir soja?

Vários estudos demonstraram que homens e crianças podem sim consumir soja sem qualquer problema. Nos homens, não se constataram quaisquer alterações na fertilidade ou na produção de hormônios masculinos. Inclusive, algumas pesquisas mostram que a isoflavona poderia ter efeitos benéficos e até proteger contra o câncer de próstata. Inclusive, a Academia Americana de Pediatria (2008) chegou ao consenso que não foi encontrada evidência para animais, humanos adultos, ou a população infantil que a dieta com isoflavona de soja pode causar efeitos adversos no desenvolvimento humano, na reprodução ou na função endócrina. Ainda, há no mercado opções de bebidas à base de soja para crianças, as quais são boas alternativas para a lancheira.

8.    Então,o consumo de soja e de derivados da soja é seguro?

Sim. Pesquisas apontam que o consumo diário da soja é seguro. Como todo alimento, a soja deve ser consumida sem exageros, mesmo sendo considerada como um alimento nutritivo. É importante sempre ter em mente a variedade na alimentação diária, para que possamos aproveitar ao máximo as qualidades nutritivas de cada alimento.

—-

[1]ANVISA. Agência Nacional de Vigilância. São Paulo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 de mai.

[2] Lieberman S. Are the differences between estradiol and other estrogens, naturally occurring or synthetic, merely semantical? J ClinEndocrinolMetab. 1996,81:850-1

[3]Levis S, Strickman-Stein N, Ganjei-Azar P, Xu P, Doerge DR, Krischer J. Soy isoflavones in the prevention of menopausal bone loss and menopausal symptoms: a randomized double bind trial. Arch Intern Med. 2011:171:1363-9

[4]Li SH, Liu XX, Bai YY, Wang XJ, Sun K, Chen JZ, Hui RT. Effect of oral isoflavone supplementation on vascular endothelial function in postmenopausal women: a meta-analysys of randomized placebo-controlled trials. Am J ClinNutr. 2010;91:480-6.

[5]Kostelac D, Rechkemmer G, Briviba K. Phytoestrogens modulate binding response of estrogen receptors alpha and beta to the estrogen response element J Agric Food Chem. 2003;51:7632-7635.

[6]Lazennec G, Bresson D, Lucas A, Chauveau C, Vignon F. ER beta inhibits proliferation and invasion of breast cancer cell. Endocrinology. 2001;142:4120–4130

[7]Qin LQ, Xu JY, Wang PY, et al. Soyfood intake in the prevention ofbreast cancer risk in women: a meta-analysis of observational epidemio-logical studies. J NutrSciVitaminol. (Tokyo). 2006; 52:428–436.

 

Este post é oferecido por Ades. Líder nacional na categoria de bebidas à base de soja, AdeS foi lançado em 1988, na Argentina. Em 1996, passou a ser importado para o Brasil e, no ano seguinte, começou sua fabricação local. Todos os produtos AdeS possuem proteína da soja, considerada completa, além de conter carboidratos, gorduras “boas”, vitaminas e minerais, combinação que dá força para fazer mais ao contribuir para a manutenção da energia ao longo do dia. Além disso, a linha não contém lactose nem colesterol (como todo alimento com soja), não possui conservantes e corantes artificiais. Para mais informações, basta acessar o site de AdeS.

 

Achados


Comentário(s)

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Alimentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *