Home Qualidade de Vida Dia do Idoso: Vivendo Mais e Melhor

Dia do Idoso: Vivendo Mais e Melhor

8 min leitura
0
0

Viver mais ativos, vaidosos e preocupados com a saúde e o bem-estar. Assim são nossos idosos, pessoas com mais de 60 anos, que fazem da idade um estímulo para viver melhor.

advanced_style_film_documentary

Essa parte da população só aumenta e estima-se que até 2025, o Brasil ocupe o 6º lugar no ranking mundial dos países mais populosos em idosos em todo o mundo, com 15% dos brasileiros acima dos 60 anos.

Como o envelhecimento é um processo natural enfrentado por todos os seres vivos, a forma como ele atinge cada pessoa é que diferencia a relação do indivíduo com a terceira idade.

Após os 60 anos, o organismo começa a sofrer modificações fisiológicas que contribuem para a diminuição da força, amplitude de movimentos e flexibilidade e para o aparecimento de outros problemas.

Para melhorar a qualidade de vida na terceira idade, fortalecer a musculatura, melhorar o condicionamento físico e o equilíbrio e evitar quedas, a hidroterapia é uma ótima opção.

“A atividade é realizada em piscina aquecida, ambiente seguro, aconchegante e com acompanhamento personalizado do fisioterapeuta.

Além da sensação de redução do peso corporal, a imersão em água morna provoca efeitos físicos que facilitam o relaxamento muscular, a redução da sensibilidade à dor e a diminuição dos espasmos musculares.

Com isso, induzimos uma melhora da circulação periférica, da consciência corporal, do equilíbrio e da autoconfiança dos pacientes.

Além de melhorarmos o condicionamento físico e fortalecemos a musculatura, o que ajuda a proteger os ossos”, explica o fisioterapeuta Rogério Celso Ferreira, diretor clínico da Fisior Hidroterapia, em Belo Horizonte (MG).

Especialista em Hidroterapia, também conhecida como fisioterapia aquática, Rogério Celso Ferreira destaca que a modalidade vem sendo utilizada como uma forma segura e confortável de manter a atividade física dos idosos, ao mesmo tempo em que trata patologias associadas ao envelhecimento, como osteoporose, artrose, fraturas, obesidade, depressão, insônia, Parkinson, entre outras, melhorando significativamente sua qualidade de vida.

A hidroterapia pode, inclusive, retardar alguns dos processos degenerativos do envelhecimento, pois melhora a eficiência geral do organismo, fazendo com que o cérebro trabalhe mais para interpretar os novos estímulos vindos da água.

“Na piscina terapêutica, um grande número de articulações é estimulado ao mesmo tempo, favorecendo sua lubrificação, com consequente aumento da mobilidade.

Além disso, ainda há melhoria no padrão do sono, no funcionamento do sistema digestivo, na redução do colesterol, na perda de gordura corporal e no metabolismo”, reforça a fisioterapeuta Ana Paula Oliveira, sócia da Fisior Hidroterapia e também especialista em hidroterapia.

A vaidade também na terceira idade

Mesmo tendo a saúde como preocupação principal existe ainda aqueles, em sua maioria aquelas, que não querem deixar a idade transparecer, e não deixam fora de sua agenda algumas horas em clínicas de estética.

É claro que virão as rugas, flacidez e com elas as mulheres também tendem a envelhecer, mas não há motivos para desespero.

Com os recursos estéticos cada vez mais avançados, é possível se manter bonita e frear o envelhecimento e os sinais da idade.

No mercado estético existem alguns tipos de terapia que contribuem para uma boa circulação sanguínea e linfática.

Também para o alívio de dores, a melhora da respiração e flexibilidade do corpo, redução do estresse e alívio de tensões musculares.

Este é o caso de muitas das clientes que frequentam a Clínica Ben Vivere de Estética Avançada.

“Recebemos várias idosas que se preocupam muito com a saúde, pois depois de certa idade a circulação sanguínea fica mais lenta, e a drenagem auxilia muito para que sintam mais leveza nas pernas”, conta Fernanda Zanini, fisioterapeuta e sócia da clínica.

Entre os recursos estéticos que mais podem trazer benefícios aos idosos estão: tratamentos faciais, que contribui com a redução de rugas e melhora da aparência da pele; técnicas para a redução do volume de gordura e flacidez da pele; drenagem linfática; massagens relaxantes; tratamentos com aparelhos estéticos; terapias para problemas de artrite e reumatismo por meio de diferentes tipos de óleos etc.

“Além destes tratamentos ajudarem na autoestima, é também uma forma delas se socializarem. Muitas vezes, recebemos grupos de mulheres que vem para a clinica fazer seus tratamentos”, comenta Fernanda.


Recomendados


Comentário(s)

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Qualidade de Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira também

Medicina reprodutiva aponta caminhos para lidar com a infertilidade

A infertilidade atinge 15% casais no Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde…