Home Bem-estar Alimentação Salmão nota 10: consumo frequente melhora o sono e promove o aprendizado entre crianças e pré-adolescentes

Salmão nota 10: consumo frequente melhora o sono e promove o aprendizado entre crianças e pré-adolescentes

6 min de leitura
0
0

Você já deve ter ouvido aquela história de que alguns alimentos podem te deixar mais inteligente, não é?

Pois o que parecia apenas mais uma estratégia para fazer os pequenos “rasparem o prato”, já pode ser considerado cientificamente comprovado!

Segundo artigo recentemente divulgado pela Revista Nature, uma das principais publicações científicas norte-americanas, o consumo regular de pescados, como o salmão, ajuda a promover a boa qualidade do sono entre crianças e pré-adolescentes, e, consequentemente, atua na melhoria da capacidade de aprendizado dos jovens.

Para chegar a tais conclusões, a pesquisa foi realizada com mais de 500 alunos chineses e avaliou algumas questões como:

1) A relação do consumo de pescados com a redução da ocorrência dos distúrbios do sono e aumento da média do QI (quociente de inteligência nas escolas).
 
2) Se a qualidade do sono é responsável por mediar a relação entre o consumo dos pescados e o quociente de inteligência.  

Sendo assim, a base da pesquisa foi a análise da relação entre a quantidade de peixe consumido e o grau de pontuação aumentada do QI, ou coeficiente de inteligência, este último diretamente relacionado à melhor qualidade de sono, indicada pela redução da ocorrência dos chamados distúrbios do sono.

Na avaliação do grupo formado por crianças que consomem peixes sempre ou às vezes, notaram-se valores de QI mais altos, correspondentes a 4,80 pontos. Já entre aquelas cujo consumo de pescados ocorre raramente, o resultado foi de 0,05 pontos.

Tal resultado pode ser diretamente relacionado ao fato de que pescados como o salmão são ricos em ácidos graxos como o Ômega-3, o ácido eicosapentaenóico (EPA) e o ácido docosa-hexaenóico (DHA), nutrientes essenciais para o organismo, reconhecidos por proporcionarem uma série de benefícios à saúde, contribuindo diretamente para o crescimento e funcionamento do tecido nervoso, responsável pela troca rápida de informações dentro do corpo, por meio dos neurônios e das chamadas células da glia.

Exatamente por isso, o consumo regular de pescados como o colorido salmão acaba atuando positivamente nas capacidades cognitivas que englobam os processos mentais de percepção, memória, juízo e raciocínio! 

A afirmação pode ser justificada a partir da ingestão de peixes – ou da suplementação com o óleo de peixe – pelas gestantes, que está associada a melhores resultados do desenvolvimento neurológico em lactentes e crianças pequenas, inclusive nas habilidades motoras, visuais e linguísticas.

Mais peixe no prato = Sono e aprendizado nota 10!

O levantamento é pioneiro na indicação de que o consumo assíduo de peixinhos como o saboroso e versátil salmão pode reduzir efetivamente os problemas do sono e, dessa forma, beneficiar o processo de aprendizado a longo prazo em crianças e pré-adolescentes.

Além de ser uma ótima notícia para mamães e papais supercomprometidos com as escolhas nutricionais para os pequenos, as descobertas são um verdadeiro incentivo para que os órgãos de saúde potencializem ações que promovam de forma crescente os hábitos alimentares saudáveis entre os jovens.

“A preocupação em oferecer aos nossos filhos as melhores opções em alimentos é uma constante e estudos como esse são verdadeiros aliados para que possamos escolher opções completas em saúde e sabor, como o salmão, na hora de pensar o cardápio dos pequenos, comenta Melanie Whatmore, da associação Salmón de Chile, que promove e incentiva o consumo do salmão chileno no Brasil.


Recomendados


Comentário(s)

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Alimentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Crianças alérgicas ao leite de vaca têm mais problemas de desenvolvimento

Crianças que sofrem com alergias persistentes ao leite de vaca podem crescer menos e ating…