Home Bem-estar Saúde Psicologia Apoio psicológico durante combate ao câncer

Apoio psicológico durante combate ao câncer

4 min de leitura
0
0

O tratamento não deve ser apenas com drogas e cirurgia

O câncer é uma doença que pode assustar muita gente, mas também é um assunto bastante discutido entre os meios de comunicação, conversas informais e pesquisas na internet.

As opções de tratamentos e medidas preventivas são temas frequentemente abordados, mas o que é pouco difundido é a questão da saúde mental do paciente.

Por ser um diagnóstico que mexe muito com o emocional tanto do indivíduo, quanto da família, é indicado que o paciente tenha também um apoio psicológico.

A notícia do diagnóstico para o paciente pode vir acompanhada de mitos, pensamentos negativos (temores, tristeza, raiva, entre outros) e dúvidas quanto à existência e como será sua vida a partir de então.

“O apoio psicológico no momento em que o paciente recebe o diagnóstico do câncer é extremamente importante para que ele se sinta acolhido e receba as orientações necessárias para reforçar ou desenvolver mecanismos de enfrentamento durante o tratamento, como forma de amenizar o sofrimento e lidar com a situação”, comenta Daniela Albuquerque, psicóloga da Multihemo.

Durante o processo, o papel da família é fundamental para servir como principal fonte de apoio ao paciente, mas isso não quer dizer que eles estejam preparados para o combate à doença do ente querido. Tanto o paciente, quanto os familiares, são afetados pelo diagnóstico do câncer.

“Além das mudanças orgânicas e emocionais causadas pela doença, também podem ocorrer mudanças na dimensão social, família, amigos e trabalho. Aqueles que estão próximos ao paciente, não necessariamente a família, mas o acompanhante ou cuidador, também precisam de um apoio e muitas vezes um acompanhamento psicológico para se ajustar à nova rotina”, explica a psicóloga.

Apesar do avanço da medicina, ainda existem muitos mitos sobre o câncer. Muitas vezes, o diagnóstico é encarado como uma “sentença de morte” e as reações mais comuns são a tristeza, raiva e medo que podem gerar pensamentos de impotência, desesperança, angústia, ansiedade, entre outros.

Por todos esses motivos é necessário que o paciente tenha além do suporte do tratamento, o apoio emocional e psicológico. A saúde mental também deve ser uma das preocupações durante o combate a doença.

 


Recomendados


Comentário(s)

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Psicologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Hidroterapia: um alento para quem tem câncer

Mais de meio milhão de casos de câncer é a estimativa para este ano, sendo que 60% dos pac…