Home Consciência Video: Dinheiro como Débito

Video: Dinheiro como Débito

3 min de leitura
0
0

Vivemos sob inúmeras ilusões. O sistema monetário é mais uma delas. Afinal, ao quê ou a quem estamos servindo? Em busca de quê estamos correndo, dia após dia? Já estamos prontos a mudar o paradigma em que vivemos? Em que tipo de mundo eu quero viver e o que posso fazer por isso?
Mas atenção, não procure por inimigos. Você é a mudança. Como já advertiu Krishnamurti:

Nós vimos o inimigo e o inimigo somos nós. Assim, a crise não é econômica, a guerra, a bomba, os políticos, os cientistas, mas a crise está dentro de nós. A crise está em nossa consciência.
O mundo exterior é o resultado do nosso próprio mundo psicológico. Esse mundo externo é criado por cada um de nós. ~Krishnamurti

Já é hora de abrirmos os olhos de uma nova percepção e criarmos, a partir do coração – e não da mente (para que não exista dualidade) – uma nova realidade.

Este pequeno video explica de forma didática o que é e como funciona essa ‘ilusão’ do dinheiro.

Quem acredita em crescimento exponencial eterno num mundo finito só pode ser louco ou economista. ~Kenneth Boulding

O sistema moderno de dinheiro como dívida nasceu a trezentos e poucos anos, quando o primeiro Bank of England foi estabelecido com autorizacão do rei para fazer empréstimos garantidos por uma modesta reserva fracionada de 2:1. O sistema, agora mundial, cria do nada quantias ilimitadas de dinheiro. Quase todos os povos estão sob o jugo de uma dívida crescente, pérpetua e impossível de pagar.
Tudo isso aconteceu por mero acaso? Ou foi uma conspiração?
Obviamente, coisas muito sérias estão em jogo.

Parte 1/5

Parte 2/5

Parte 3/5

Parte 4/5

Parte 5/5

Para saber mais, outras referências:
moneyasdebt.net
Trecho do Documentário “Let’s make money”
Trecho do Documentário The Edukators (“Vivemos numa ditadura do capital”)


Recomendados


Comentário(s)

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Consciência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *